terça-feira, 4 de julho de 2017


Fiz amor com um Ben & Jerry's Peanut Butter Cup e só espero que em breve seja legalizada a união entre seres humanos e guloseimas do camandro, para dar o passo seguinte.

Já tive a minha fase Häagen Dazs, com expoente máximo no fabuloso Strawberry Cheesecake, motivo para convites de visita ao domicílio que - para além de épicas colheradas - levavam água no bico, mas agora visto a camisola palatina da Ben & Jerry's.

Apesar do nome meio cartoonesco, a marca representa mais do que momentos bem passados a enfiar divinos gelados pela goela abaixo.
É também associada ao justo Comércio Justo, e a valores de justiça social e ambiental, entre outros.

Fazem gelados desde 1978, um bom ano para o nascimento de coisas fofinhas.

Enquanto não provo os outros petiscos altamente glicémicos da Ben & Jerry's, posso começar por tentar esmiuçar este sabor que me tirou literalmente do sério.

Ora bem, temos manteiga de amendoim, o que, só por si, já é um glorioso sabor.
Menos para aqueles susceptíveis a choques anafiláticos.

E como cereja no topo do bolo, ou melhor, como bombom dentro do gelado, temos... bombons dentro do gelado!
Recheados com manteiga de amendoim!

A sensação de estar a comer algo proibido, pecaminoso, nocivo para a saúde, é constante em cada cavadela da colher, um utensílio intermediário que só atrasa a chegada da iguaria à boca.
Isto saberia melhor usando as mãos e os pés, ou mesmo mergulhando de cabeça.

É caro, para cima de seis euros, mas este estava com preço de desconto no Pingo Doce e ficou por metade.
Só coisinhas boas.

Devorar este gelado foi um dos momentos do ano.
O outro foi aquele sonho com a Sara Sampaio.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

A Era do Aquário

Bem-vindos sejam a este blog com nome de signo do zodíaco.
E de reservatório para peixes.

Depois de algumas tentativas falhadas, este vai ser o blog que vai reunir a minha opinião, os meus estados de espírito, os comentários mais ou menos engraçados, o sarcasmo, a ironia e o non-sense, a nostalgia, uma ou outra receita à base de beldroegas, e ainda fotos de mulheres nuas e vídeos com anões malabaristas.
Alguns destes últimos itens estão em fase de cogitação.

Como nasce no Verão, "O Aquário" pretende ser um espaço refrescante, mas acima de tudo, um porto de abrigo, um regresso ao útero, um espaço cristalino, com ideias claras, sem medo de serem assumidas, um sítio à distância de um clique onde pode encontrar um belo gupi, um peixe-palhaço, um tubarão, ou apenas corais repousantes, tudo dependendo do meu estado de espírito.

Este é "O Aquário" e calhou ser do signo Caranguejo em vez de Peixes.
Nada mal para quem é Touro de signo e Leão de clube.